terça-feira, 9 de agosto de 2016

HISTÓRIA DOS CULTIVADORES ISEKI NO BRASIL

Olá Pessoal, tudo bem? Hoje vamos falar sobre a história dos cultivadores motorizados ISEKI no Brasil, sua trajetória, os modelos disponíveis e permanência no mercado nacional até o fim de sua produção. Projetado e desenvolvido no japão o cultivador motorizado ISEKI era fabricado em sede própria na cidade de Indaituba interior do estado de São Paulo e foi o primeiro microtrator fabricado no pais que rapidamente se tornou um equipamento de grande utilidade nas pequenas propriedades rurais sob a premissa de ser Brasileiro e oferecer todas as peças de reposição fabricadas totalmente em território nacional. Sua produção começou no ano de 1964 e a fábrica oferecia 4 modelos diferenciados basicamente pela motorização e potência disponível, eram eles: K14BH-75 (com motor yanmar NT75 de 6CV), K14BH-85 (com motor yanmar NT85 de 8CV), KB-8 (com motor yanmar B8 de 7,5CV) e KB-10 (com motor Wisconsin TR10D gasolina de 10CV). Nos quatro primeiros modelos eram motores diesel, monocilindro horizontal, já o modelo KB-10 era motor monocilindro vertical, interessante não? Fabricados pela ISEKI MITSUI todos estes modelos eram equipados com a mesma transmissão de engrenagens deslizantes com duas marchas a frente e uma a ré (reduzidas) e duas marchas a frente e uma a ré (simples) desenvolvendo velocidade mínima de 1,3 Km/h e máxima de 18 Km/h. Vinha de fábrica acompanhado do implemento enxada rotativa acoplada ao conjunto trator com dezesseis enxadas modelo standart que oferecia duas velocidades de trabalho, um equipamento perfeito e versátil para várias aplicações como preparo de solo não mecanizado. Possuía grande menu de implementos que eram rapidamente acoplados por um sistema de engate rápido exclusivo da ISEKI e o peso total da máquina montada com implemento era de 400 Kg. Após a ISEKI atingir um número relevante de máquinas vendidas no país a então YANMAR DO BRASIL (que até o momento fabricava somente motores) adquiriu os direitos de fabricação destes cultivadores no país e agora oferecia somente dois modelos para o mercado, KF100 e KF200 acompanhados de nova motorização yanmar diesel B9C de 8CV e B8C de 6CV, respectivamente que eram motores de concepção mais moderna fabricados aqui no Brasil. A caixa de transmissão nos modelos KF também sofreu mudança, recebeu reforço em sua carcaça e a rotação de trabalho foi aumentada para diminuir o torque. Os últimos modelos fabricados no país foram o KF100 (sem farol) e KF200 (com farol), ambos modelos fabricados pela YANMAR DO BRASIL mas possuíam o nome ISEKI. No início da década de 1970 o cultivador motorizado ISEKI começou a mostrar os sinais do desgaste do tempo, foi perdendo mercado e reduzindo o número de vendas, pois a fabricante KUBOTA já possuia um concorrente superior em todos os aspectos se comparado aos modelos KF. Neste ponto a YANMAR DO BRASIL lançou o cultivador motorizado TC10 uma máquina totalmente reformulada e melhorada em relação a seu antecessor ISEKI e foi gradativamente ganhando espaço no mercado, inclusive, o TC10 foi uma resposta da empresa frente ao cultivador motorizado modelo KNDR da KUBOTA que já havia conquistado uma parcela do mercado nacional. Ao longo de minha vida de admirador destas pequenas notáveis, tive a oportunidade de operar um modelo KF100 com carreta de transporte, observei que era razoavelmente fácil de se realizar manobras e a embreagem principal "monodisco" se mostrava bem nervosa nas arrancadas. Outro fator interessante era a partida manual muito suave mesmo em dias frios onde o motor yanmar B9C, que já era considerado um dos melhores motores disponíveis no mercado naquela época, respondia prontamente as solicitações de torque e potência o que me deixou admirado apesar da idade avançada daquele velho guerreiro. A seguir algumas imagens desta bela máquina e suas aplicações:
Imagem rara do cultivador motorizado ISEKI K14BH-75 com motor yanmar NT-75 de 6CV, o de menor potência fabricado pela ISEKI MITSUI no início de 1964. Note que estes antigos motores série NT possuiam tanque de água de evaporação sem ventoinha. A máquina era totalmente pintada na cor azul e o para-choque era somente uma barra de perfil "U".
Modelo KF100 sem farol já produzido pela YANMAR DO BRASIL. Note que este motor já era o nacionalizado modelo B9C com câmara de evaporação e ventoinha acoplada ao conjunto de refrigeração. Sistema muito mais moderno e eficiente, o mesmo utilizado posteriormente nos motores NB10CE dos cultivadores motorizados yanmar TC10.
Propaganda da época apresentando o versátil KF200 com farol
Vista lateral KF100. Diferente do TC10, os ISEKI possuíam a alavanca de acionamento da enxada rotativa no próprio corpo do implemento, ou seja, ao desacoplar a enxada rotativa, a alavanca de acionamento saía junto com o implemento.
Vista lateral KF200. Note que este modelo apesar de ser equipado com farol dianteiro possuía potência menor que o KF100.
KF200 acoplado à enxada rotativa standart, implemento versátil que permitia realizar as três operações básicas de preparo de solo, capinação, aração e gradeação.
KF200 com sulcadeira acoplada a enxada rotativa, usava-se para abrir sulco, valeta, fazer canteiro, curva de nível e etc. Note que o microtrator estava regulado para sua bitola mínima de trabalho.
Acoplado com arado de aivecas reversível e rodas de ferro para arado este conjunto era utilizado para preparo de solo, principalmente de arrozais irrigados.
Acoplado com arado de aivecas simples para aração em terrenos planos, arrozais, brejos banhados ou secos. Este implemento não permitia a reversão, era chamado de arado duro e o ISEKI também necessitava de rodas de ferro pois o implemento exigia muita tração.
Utilização do KF com semeadeira que plantava milho, soja, trigo e outros cereais. Para sua utilização necessitava primeiramente do preparo de solo.
Roçadeira frontal para roçagem de material pesado, se utilizava também para a colheita de alfafa e outros tipos de feno para alimentação animal.
Microtrator com carreta simples (sem tração) para transporte em geral com capacidade para até 500 Kg.
Os fabricantes e seus logos que marcaram história em nosso país.

quinta-feira, 9 de junho de 2016

FABRICAÇÃO DOS CULTIVADORES YANMAR TC10 E TREINAMENTO

Olá pessoal,
Fazendo um gancho com a postagem anterior, trago aqui mais algumas imagens referentes ao cultivador motorizado Yanmar TC10. Imagens da linha de montagem na fábrica de Indaiatuba e treinamento para mecânicos e operadores da rede de concessionários realizados na própria fábrica. A fábrica possuía grande autonomia na fabricação desta notável máquina pois, dentro de seu processo de produção, contava com uma fundição própria que fornecia todos os componentes de ferro fundido para a fabricação do bloco do motor e da transmissão do TC10, bem como, a fabricação de demais componentes para a montagem final do cultivador motorizado.


O motor monocilindro diesel NB10CE com sistema de refrigeração por Câmara de Evaporação, além de equipar o TC10, poderia ser vendido separadamente e utilizado em várias aplicações. Quando no TC10 o sistema de refrigeração era por radiador de ventilação forçada com ventilador.




Foto tirada da linha de produção do cultivadores motorizados TC10 da década de 70 na fábrica em Indaiatuba. Motor e transmissão possuíam linhas de montagem distintas e após cada montagem se realizava o casamento motor+transmissão.





Linha de montagem do famoso motor série B de fabricação nacional, sucessor do motor NT-F que possuia todos os componentes vindos do japão e era somente montado aqui no Brasil. O NT-F é, historicamente, o primeiro motor Yanmar oficialmente produzido no país a partir do ano de 1961.




Foto tirada do Centro de Treinamento na fábrica, onde cada aluno tinha a tarefa de montar e regular seu próprio motor. Note que o motor do primeiro plano é um NB10 e o que está ao fundo é um modelo NT-F mais antigo.




Foto tirada em um dia de treinamento no campo onde os alunos aprendiam sobre a manutenção e operação dos cultivadores motorizados na prática. Note como esta imagem é rara, onde vemos duas gerações distintas de cultivadores. O modelo TC10 e o modelo Iseki (em vermelho) que já estava em fase de aposentadoria pois foi gradativamente substituído pelo TC10 que possuía motor mais potente e uma nova caixa de transmissão entre outros atributos. O cultivador Motorizado Iseki terá tópico exclusivo em postagem futura.

sábado, 9 de abril de 2016

CULTIVADOR MOTORIZADO YANMAR TC10

Bem vindos amigos e amantes dos tratores de pequeno porte, micro tratores e cultivadores motorizados. Esta página possui a finalidade de conhecer, divulgar, comentar, discutir e apreciar um pouco mais sobre estas máquinas maravilhosas utilizadas basicamente na fruticultura, viticultura, fumicultura, horticultura e pequenas propriedades rurais distribuídas em nosso imenso país. Basicamente começarei divulgando um histórico dos modelos e fabricantes de micro tratores e cultivadores motorizados com motores diesel monocilindro empregados aqui no país. São vários modelos que possuem diversas variações ao longo do seu período de fabricação.
O primeiro que vou apresentar é o histórico YANMAR TC10, lançado no ano de 1973 pela Yanmar do Brasil na cidade de Indaiatuba-SP. Equipado com o motor Yanmar NB10 monocilindro de fabricação nacional, desenvolvia 10 cavalos de potência e vinha equipado com enxada rotativa de fábrica. O motor era equipado com bomba injetora de combustível DECKEL de fácil manutenção, sistema de injeção indireta com ante-câmara de turbulência e radiador de água com resfriamento por sistema de condensação e troca de calor forçado por ventoinha, um conceito muito inovador para a época. Basicamente o TC10 era uma variação produzida no Brasil dos "Tractors Cultivators" YC5, YC6 e YC7 muito conhecidos no mundo inteiro e fabricados pela Yanmar no Japão. A denominação TC10 é oriunda da palavra Tractor (T) e Cultivator (C) e 10 é a potência em cavalos vapor disponível do motor.  Uma caraterística do Yanmar TC10 é o grande número de velocidades disponíveis em sua caixa de transmissão, 6 velocidades à frente e 3 à ré, além de possuir 4 velocidades de seleção para o implemento enxada rotativa TA49.
Vale destacar que os termos MICRO TRATORES e CULTIVADORES MOTORIZADOS são sinônimos e são os dois nomes empregados para mencionar estes "tratores de rabiças", termo técnico utilizado aqui no Brasil, podendo variar para um ou para outro dependendo do fabricante.
Abaixo algumas imagens de catálogo da época, mostrando as aplicações desta máquina versátil.




Folheto de divulgação para o mercado no ano de 1973





Preparo do solo, a enxada rotativa TA49 com 20 enxadas realiza o trabalho simultâneo do arado e grade niveladora, deixando o solo pronto para o plantio.




Preparo do solo com TA49 em terreno muito úmido. Note que o TC10 está acoplado com rodas de ferro auxiliares que oferecem maior capacidade de tração aos pneus convencionais. As rodas de ferro auxiliares eram vendidas como acessório. 





Utilização de arado de aivecas reversível de 2 folhas em conjunto com rodas de ferro para arado. Para este tipo de serviço trocava-se os pneus convencionais do TC10 pelas rodas de ferro para arado no sentido de oferecer capacidade máxima de tração. Basicamente utilizava-se o arado de aivecas reversível de 2 folhas para aração em terrenos planos e úmidos. Uma curiosidade nesta aplicação é de que era um pouco difícil fazer o primeiro corte ou sulco, a partir daí o TC10 quase arava sozinho era só soltar a roda no sulco.